álvaro de campos

Ia eu a descer o Chiado esta semana, quando vejo um grupinho do que me pareceu serem à distância 3 amigos amish. Vestiam paletó preto, com um chapéu de cartola também preto, e apoiavam-se numa bengala, mas como estavam de costas não consegui visualizá-los melhor.

Pouco curiosa como sou, cheguei-me o mais possível junto a eles, quando, de repente um se virou e chocou de lado contra mim. Surpreendida, verifico que afinal não eram 3 amish nem nada que se assemelhasse, mas sim 3 Fernandos Pessoa de bigodes e tudo!

Acontece que aquele que chocou contra mim ficou a fitar-me sem desviar os olhos e eu, nervosa, temendo estar na presença de 3 tresloucados fugidos do Júlio, continuei a descer a Rua Nova do Almada como se nada fosse ( poetas mortos em triplicado? todos os dias).

Para minha imensa vergonha, vira-se o 1.º Fernando Pessoa e berra aos meus ouvidos: “Ó MINHA DOCE OFÉLIA!”. E os outros todos seguem-se-lhe também a berrar e declamam estrofes inteiras. Obviamente que eu não fiquei para as ouvir, já que fugi chiado abaixo à velocidade estonteante a que as minhas socas mo permitiam.

Para meu infortúnio e grande gáudio dos turistas, aqueles 3 doidos desceram a rua atrás de mim sempre a declamar em grande estardalhaço até que eu, num golpe de génio, me escondo na Caixa Geral de Depósitos e eles continuam em direcção ao Terreiro do Paço.

Devia estar profundamente branca, porque o segurança do banco chega-se ao pé de mim a rir-se e diz” a semana passada eram o Gil Vicente! Isto são iniciativas malucas da Câmara”.

No meio do azar ainda tive sorte. Gil Vicente? 3 homens de collants e calções de balão atrás a perseguirem-me enquanto declamavam “o monólogo do vaqueiro” ia ser demais para o meu pobre coração.

E no fim, fica a dúvida, seria o próprio ou heterónimo?

Partilha-me toda, eu gosto

26 comentários em “álvaro de campos

  1. Álvaro de Campos, Ricardo Reis, Alberto Caeiro ou o próprio Fernando Pessoa?!!!
    Fugiste e fizeste bem!
    Os poemas são lindos de ler, mas daí a entrar em contacto directo… tb não me parece boa ideia.
    Fora de brincadeira a ideia da Câmara até nem é má.

    Quanto ao anónimo… viva a democracia e a liberdade de expressão.
    Eu cá não costumo frequentar “casas” (virtuais ou não)onde não me sinto bem.
    É fugir daqui… tb tu fugiste dos outros 3. 🙂

  2. Fantástica esta tua aventura, mas olha que mal por mal antes ser perseguida pelo FP e heterónimos, ou Gil Vicente, do que por verdadeiros loucos. Para a semana evita passar pela mesma zona, não vá aparecer-te ao caminho o Padre António Vieira e tenhas que levar com um sermão!
    Adoro o que escreves, continua e ignora as bocas foleiras. O que vem de baixo nunca nos deve afectar.
    Bjos

  3. Terrorismo Poético em plena luz do dia! Lisboa precisa de uma Brigada Anti-Cultura tou a ver! Amanhã tens a resposta do lado do bem, com Ana Malhoa em triplicado (aos ombros umas das outras pra ficarem à altura do Frodo) a bombardear tudo o que mexe.

  4. Susana.Insatisfeito.
    com.a.minha.falta.de.sagacidade.
    para.entender.os.teus.tão.nobres.
    textos.retiro.me.para.penitência.
    sem.deixar.votos.de.continuidade.
    mas.enfim.a.vida.é.mesmo.assim.
    dizem.eles.uns.iluminam.enquanto.
    outros.são.iluminados.fica.bem.
    que.a.graça.da.literatura.um.dia.
    te.toque.anónimo.a.quem.decidiste.
    chamar.freak.abraços.cá.de.baixo.

  5. Não posso ser fraco
    Não posso falhar
    A armada invisivel
    Está aqui para lutar.

    Não sei bem como
    Mas quero-te agarrar
    Pois quero sentir o som
    Do teu lindo olhar.

  6. Lindo… este tipo de cenas só te acontecem a ti pá!! Consigo visualizar perfeitamente a cena toda na minha cabeça…
    lol

  7. Quando eu souber o que fazer
    Nem vais ter tempo para correr,
    Vou-te agarrar de uma maneira
    Quero-te ter…, todinha inteira!

    Linda, bela e apetecivel
    Quero agir, como um incrivel
    Linda, bela e a sonhar
    Quero ver, teu admirar.

    E admirado já eu estou
    Aquele momento, em mim ficou
    E continua a ficar
    Dentro de mim, a palpitar.

  8. Porque não respondes
    A este teu amigo?
    Porque te escondes
    De um conhecido?

    Ou estarei eu escondido?
    Porque estou aborrecido
    O que me impede de sorrir?
    Tristeza forte, estou a sentir.

    Porque estou preso em mim?
    Porque não estou perto de ti?
    O que não fiz? Porque nãoouvi?
    O que não vejo? Porque revejo?

    Passando horas a rever
    O bem que fazes
    Não quero perder
    Passo horas a imaginar
    O nosso sonho e voar!

    Voar e libertar
    As nossas dores
    De muito gritar
    Voar e acreditar
    Que o amor fique a ganhar.

    Ele é verdadeiro
    E nos preenche o corpo inteiro
    Porque ele nos faz vencer
    Temso os dois que renascer.

    Para voltar a viver
    Para nunca mais sofrer
    Para nunca mais se separar
    O amor que temos, para dar.

    Não tenhas medo de viver
    Estamos juntos, para o que acontecer
    DeMãos dadas vamos caminhar
    Até infinito…, vamos amar.

    Mas tu não acreditas
    E nem sequer meditas
    E penso que não hesitas
    E muito menos facilitas.

    E tens toda a razão
    Em protejeres teu coração
    Mas podias tentar
    Confiar no meu amar.

    Apenas sinto no papel
    A suavidade da tua pele
    Apenas sinto no papel
    O teu sabor a mel.

    Apenas só escrevi
    Tudo aquilo que senti
    E tudo aquilo que sinto,
    Mas não tive coragem de contar
    O aperto no coração
    Que teima em atormentar.

    Coração que te entreguei
    E sem resposta fiquei
    Lapidado e transparente
    Noutras mãos, fica doente.

    Tens a chave do meu tesouro
    Porque não ouves o meu bezouro?
    Não me canso de chamar
    Pois gostava de presenciar/sentir
    Esse teu belo olhar/sonhar.

    Meu pobre coração
    Chama por paixão
    Minha louca rebelião
    Se transformou em solidão.

    Solitário e arrependido
    Estupido ando, todo dorido
    Não procurei acabar com a dor
    Pois fiquei com medo, do eu sabor.

    O que digo faz sentido?
    Ou estarei pouco entendido?
    Não resulta o entendimento?
    Pois afinal…, que sofrimento?

    Que dor estamos a sofrer?
    Quem concilía o entender?
    É perceptivel o nosso querer
    Apenas temos, que anteceder.

    Antecipar o nosso encontro
    Que teima em não, acontecer
    Vivendo o nosso conto
    Que continuamos a escrever.

    Mas não sei como estás
    Comunica…, logo verás
    Preocupação com o teu ser
    Gostava muito, te ver crescer!

    Crescer para mim
    Olhando sem fim
    Agarrando minha sensação
    Fico louco, com tamanha imaginação.

    Teus lábios tocando nos meus
    Minhas mãos, apreciando o que é teu,
    Minha sensação fica a planar
    De tanto imaginar, de tanto sonhar.

    Ouvindo o teu respirar
    E sentindo o teu olhar
    Eu estremeço com o teu vibrar
    E desejo teu abraçar.

    Vamos sentir
    O ceu a sorrir
    Vamos observar
    O mar a brilhar.

    Vamos ouvir
    A terra a girar
    Vamos decidir
    Que dia unir.

    Não podemos mais ter calma
    Chama acende, aquecendo a alma
    A união vai ter que surgir
    Nossos corpos…, eles vão subir.

    Peço desculpa por não saber
    Se estás a ver
    Ou se te encontras a sofrer
    Não quero magoar ninguém
    Magoado já estou, e muito além.

    Apenas quero conquistar
    Essa magia, que espalhas no ar
    E eu sei que vou ganhar
    Pois já te vi, a cativar.

    Bela magia afrodisiaca
    Linda ternura paradisiaca
    Que tu soltas para o ar
    Na esperança de me agarrar.

    E agarrado ao beijo estou
    Não me digas, que em ti não ficou
    Pois na esperança de me aceitar
    Eu escrevo versos, para rimar.

    E como podes ver
    Foi o dia inteiro a escrever
    Não fico concentrado
    Só penso em ti
    EM TODO LADO!

    Beijos miuda.

  9. E mais um poema eu vou pintar
    Para em mão te entregar
    Juntamente com muitas flores
    Para aliviar as fortes dores.

    Se tu sabes que eu te amo
    E eu pressinto que tu me amas
    Se tu sabes que por ti eu canto
    Não percebo qual o espanto.

    Porque parece que não acreditas
    Na realidade do nosso amor
    Eu bem sei que não facilitas
    Pois reservas a tua dor.

    Mas eu quero acabar
    Com o teu medo de amar
    Em novo homem, me quero transformar
    Mas para isso, tens que confiar.

    Novo homem eu fiquei
    Na 1ª vez, que te observei
    Mas como a mulher, bom homem faz
    Me transforma, em teu audaz.

    Confiar nos meus sentimentos
    Questiona todos os momentos
    Sou um livro aberto
    Pena tenho, de não ser esperto.

    Inteligente para cativar
    Matreiro para conquistar
    Surpreendente para brilhar
    Eloquente…, para caminhar.

    E se isto não faz sentido
    Não esqueças que eu existo,
    Podes ser contar comigo
    Para ir beber, refresco batido.

    E se não for esta a realidade
    Eu sei medir a desigualdade
    Eu sei ficar no meu lugar
    À espera que um dia
    Te lembres de me ligar.

    Mas eu vou ligar primeiro
    Ainda não sei, que dia certeiro
    Até podia agora ser
    Tu consegues, me entender?

  10. Minha doce Ofélia,

    muita sorte tiveste tu, se fosse o Gil Vicente teria sido bem pior…

    Mas sim foi lindo! E estas coisas só te acontecem mesmo a ti !!!

  11. Não consegui dormir
    E não parava de sonhar
    Só pensava no futuro
    E tudo…,que tem para dar.

    Hoje sonhei acordado
    Estavas Linda, ao meu lado
    Pequenas caricias fazias
    E com teu olhar, me dizias:

    Vamos ficar sempre assim
    Nunca fujas de mim
    Vamos ficar sempre colados
    Bem juntinhos…, enamorados.

    E eu calado sorria
    E pensava, que alegria
    E uma paz de espirito sentia
    Chegou o momento, chegou o dia.

    Palpitando de euforia
    Ouvindo a melodia
    Transbordando de alegria
    Ajustando a sintonia.

  12. Incomodado com a posição
    Cruel eles pensam, ou talvez não,
    Mas talvez tenham razão
    Porque não me curo então?

    Não consegues perceber,
    Depressa começo a ferver
    E não penso, no que está a acontecer.
    Vontade é louca de aproximar
    Mas nada amiga, em teu olhar.

    Esta criança foge cá dentro
    Ela foge do meu centro
    Tenho receio de não dominar
    Suas acções…, é bom parar.

  13. É bom parar para sonhar
    Ajuda muito a ensaiar
    O plano da sedução
    Eu escrevo, com imaginação.

    Não sejas tu cruel
    E sai do teu anel.
    Não fiques uma fera
    E sai da tua esfera
    Pois eu me encontro à espera.

    E vou sair do meu anel
    Para sentir a tua pele
    Vou ocupar teu espaço
    Vou lançar o laço.

  14. Ainda me vais de novo internar
    Por andar outra vez a inventar
    Ainda nos vão julgar
    Esta nossa maneira
    De namorar e de amar!

    BEIJO! Espera…, outro BEIJO!

  15. FLORES

    Recebe estas flores
    Enquanto crio
    Novos sabores,
    Para ires saboreando
    Para namorares, namorando!

    Enquanto uso a imaginação
    Criando palavras de sedução,
    Quero que fiques melosa
    E toda…, prazerosa e poderosa!!

    Tento fazer uma canção
    Para colocar no nosso espaço
    Tento uma nova vibração
    Para susurrar, no teu regaço.

    Não te afastes de mim
    Não te afastes daqui
    Do teu palacio
    Não te vais afastar
    Coisa boa eu tenho
    Para te entregar.

    Por isso…, AMOR!
    Esquece a nossa dor,
    E pensa no calor
    No intenso prazer…,
    Do nosso amor!

    Imagina que sou teu
    Está aqui o teu Romeu
    Teu corpo não vou largar
    Enquanto não me disseres
    Chega!, quero parar.

    A armada vai investir
    Últimos versos a sorrir
    Em cada palavra de sedução
    Ela vai sentir…, tua vibração.

    Força fisica, aperfeiçoa
    Para se tornar, melhor pessoa
    Ela vai treinar e melhorar
    Para o ar te faltar!!

    Elas estão a caminho
    Diretas ao teu ninho
    No teu canto familiar
    Belas vão cair do ar.

    Beijo Amor!!

  16. À TUA PRESENÇA…

    Eu me sinto.., sentindo!
    Eu te sinto.., sorrindo!
    Este bem que me alenta
    Me consome e me sustenta.

    Parado eu ando, alucinado
    Calado eu falo, tresloucado
    O que não vejo fechado
    Me permite entrar, esperançado!

    Já chorei, mas já não choro
    Já rezei, agora coro
    Sempre que toco, o teu ser
    Me sinto de novo a viver.

    O risco do amor
    Para ti.., é um louvor
    O risco de te animar
    Eu arrisco.., é teu olhar!

    O teu olhar é.., sinal de mudança
    Tu me chamas, sinal de esperança
    Perdido em mim
    Dentro de ti!

    Já fui deserto,
    Mas agora acerto!?
    Espero do mundo inteiro
    Apenas teu doce cheiro.

    Mais uma vez me inspiraste
    E versos admiraste!?
    Desculpa a invasão
    Não resisti.., à tentação!

  17. loool

    tb os apanhei, ou melhor, apanharam-me ná fábrica dos pastéis de belém! morri de vergonha, eu q sou morena e nem costumo corar!

    e no final nem consegui perceber q poema disseram….

    bj meu

  18. Faz por não passar por la quando la estiverem os Eças porque um poema de FP tem pelo menos um ponto final…ja os textos de Eça…tinhas companhia ate casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos relacionados

Digite acima o seu termo de pesquisa e prima Enter para pesquisar. Prima ESC para cancelar.

Voltar ao topo